Na Terapia Biográfica usamos essa afirmação como símbolo do período de desenvolvimento que todos passamos de 7 a 14 anos. Este é um período em que buscamos, identificamos e valorizamos a beleza no mundo. Se até os 7 anos nosso principal referencial era a própria família, nessa fase a criança se divide entre a casa e a escola, e a comparação surge como atividade que permite classificar tudo o que vivenciamos no mundo.

A beleza é encontrada nos contos de fadas, nas histórias de heróis, nas lendas e fábulas. A natureza é outra fonte inesgotável de apreciação da natureza para uma criança, que se delicia vendo e brincando com os animais, se extasia diante de uma flor, se maravilha com o mar. A criança participa da beleza que há no mundo, ela não é mera espectadora, ela brinca com os animais, tira as flores do pé e se enfeita com elas, inventa mil brincadeiras na praia.

Quando adultos, perdemos muito dessa capacidade de apreciar e desfrutar a beleza e precisamos muito da confirmação do outro para podermos reconhecê-la. Assim, o belo é aquilo que todos, ou a maioria, considera belo, e geralmente esta é uma visão muito superficial, pois não há contato com a essência daquilo que é observado.

Quando visitamos uma cidade, isso se torna claro por escolhermos visitar somente os pontos turísticos consagrados, que são verdadeiros pastiches. O Rio de Janeiro, por exemplo, é famoso pela Pão de Açúcar e pelo Cristo Redentor. Sem dúvida, lindos! Mas o que eu mais gosto no Rio de Janeiro é de tomar um chopp sexta-feira à tarde, nas ruas do centro, em que todos estão saindo do trabalho e, de certa forma, comemorando o fim de semana que está começando. Este é o tipo de beleza que lembra aquela que vivenciamos quando crianças: você participa dela, e a alegria presente nela é o que a faz tão especial. Ninguém vai fotografar as mesas cheias de pessoas tomando chopp e comendo peixe frito, você vai lá participar dessa maravilha!

Precisamos resgatar nossa apreciação de criança para ter um novo maravilhamento com a beleza do mundo, uma beleza da qual podemos ser participantes e não somente espectadores.

Marcelo Guerra

Médico Homeopata e Terapeuta Biográfico

Co-fundador do DAO Terapias, realiza workshops de auto-desenvolvimento em várias cidades do Brasil.